FORNECEDORES

Critérios para fornecimento e de carvão vegetal na Simasul.

CONDIÇÕES DA CARGA DO CARVÃO NO CAMINHÃO:

Os caminhões de carvão devem estar em condições adequadas da carga e seguras do caminhão.

Condições adequadas da carga:

• O caminhão deve apresentar uma lona compatível com o tamanho da carga; a mesma deve cobrir por inteiro a parte superior e parte das laterais da carga de carvão;

• A lona deve apresentar boas condições para o uso: sem rasgo, furos ou emendas mal feitas;

• No caso de caminhão gaiola, onde a lona é fixa na gaiola, a mesma também deve apresentar em boas condições e cobrir toda parte superior;

• A carga não deve exceder o peso máximo suportado pelo caminhão e nem a altura máxima permitida;

• A carga não pode exceder os limites laterais do caminhão, pois pode gerar acidente;

• Na carvoaria, não carregar “carvão quente” (carvão do dia), pois corre sério risco de incêndio.

• A carga será descarregado no silo apenas quando não apresentar riscos de incêndio.

Condições seguras do caminhão;

• Placas de identificação da carga;

• Extintor de incêndio em boas condições de uso, local de fácil acesso em casos de emergência e dentro do prazo de validade;

• Partes mecânicas sem defeitos principalmente freios.

• De acordo com o Decreto nº 2.069, de 12 de dezembro de 1996 Art. 81. As dimensões autorizadas para veículos com ou sem cargas, são as seguintes:

I – Largura máxima: 2,60m;

II – Altura Máxima: 4,40m;

Ressaltando que a Simasul precisa da contribuição de todos para que possamos caminhar de acordo com as leis ambientais e de Transporte evitando transtorno à população local.

• CRITÉRIO PARA DESCARGA DO CARVÃO NA EMPRESA:

Após a pesagem do caminhão na balança ele é encaminhado ao estacionamento reservado no pátio da empresa para aguardar a sua vez de descarregar o carvão, obedecendo à seqüência por ordem de chegada.

Se o motorista não estiver dentro da Indústria quando chegar sua vez, o mesmo perderá a vez para o próximo que estiver aguardando.

Enquanto um caminhão estiver descarregando, outro fica no estacionamento esperando a sua vez de ser chamado pelo analista que estiver no horário.

AFERIÇÃO DO PESO E DO VOLUME DO CARVÃO:

Quando o caminhão chega carregado com o carvão, na entrada da empresa ocorre a pesagem bruta (Veículo/Carvão) na balança e no momento da descarga o carvão passa por um processo de medição em caixotes de 4 m³ (quatro metros cúbicos). A totalidade destes determina o volume final da carga de carvão. Ao encerrar a descarga, o caminhão retorna à balança para pesagem do caminhão vazio (Tara do Veículo) e a apuração do peso líquido do carvão.

• CONTROLE DA DESCARGA DE CARVÃO:

Quando chega a vez do caminhão descarregar o mesmo é acionado pelos analistas (fiscais) e espera com o caminhão estacionado no pátio para iniciar o processo.

O metreiro inicia suas anotações com o numero da placa e o tipo de caminhão em uma Ficha de Controle da Descarga de Carvão, que contem os seguintes dados:

• Numero da placa;

• Tipo de caminhão;

• Hora de entrada (inicio);

• Hora de saída (Fim);

• A contagem do caixote ou carrinho de carvão (que mede 4m³) e é identificado pelas letras A, B, C e D;

• A diferença ou fração de carvão que sobrou

• A metragem total (soma da contagem + fração de carvão que sobrou);

• Umidade, fino, granulometria e qualidade.

• Assinatura do metreiro e fiscal;

• Se o motorista acompanhou a descarga ou não.

A contagem e preenchimento desta ficha são de responsabilidade do metreiro, e é feita durante todo o processo de descarga do caminhão.

E o caminhão for do tipo Romeu e Julieta ou bi-trem, faz-se uma ficha para cada parte do caminhão, pois considera como sendo duas cargas.

Existem 3 bicas que são definidas como A, B e C, cada uma corresponde ao seu respectivo carrinho na mesma seqüência.

É retirada a lona do caminhão e em seguida, o mesmo segue para o galpão da descarga e é estacionado no local indicado pelo metreiro.

Depois de estacionado e posicionado nas bicas adequadas, inicia-se o processo para descarregar o carvão do caminhão, e é anotando o horário de inicio.

O carvão é manualmente direcionado pra a bica com o auxilio ou não de pás/garfos enchendo o carrinho ou caixote, e dois funcionários sendo um o metreiro fazem o nivelamento do carvão no carrinho com uma régua até que este esteja no mesmo nível da borda apresentado assim os 4m³, em seguida o mesmo é descarregado no silo e devidamente anotado na Ficha de Controle da  Descarga de Carvão, indicando o carrinho que foi descarregado. O procedimento é repetido em cada carrinho até que todo o carvão seja devidamente descarregado.

Após terminar de descarregar toda a carga que estiver sobre a carroceria do caminhão, será solicitado ao motorista que retire o caminhão e recolha o carvão que por ventura possa ter caído durante o processo de descarga para que o mesmo possa ser medido.

Quando o restante da carga não encher o caixote, utiliza-se a medida da escala que se encontra do lado de fora do caixote, e a partir dele determina-se a fração ou diferença de carvão, e a quantidade é anotada na Ficha de Controle da Descarga de Carvão.

O metreiro faz a soma dos caixotes de carvão, multiplica por 4 (metragem de cada carrinho) e soma com a fração de carvão restante, tendo assim a metragem total do caminhão e anota o hora do término do processo. Entrega a ficha para o analista fazer o restante das anotações.

O analista anota os resultados obtidos de umidade, fino e granulometria, classifica o carvão quanto a sua qualidade através de uma tabela, confere e assina e após entrega a Ficha de Controle da Descarga de Carvão na balança, finalizando o processo.

• COLETA DAS AMOSTRAS;

• Fica como responsável pela amostragem o fiscal que deve seguir as instruções abaixo:

No caminhão é retirado as amostras da seguinte forma:

1) 2(duas) amostras inicialmente para as análises de umidade, quebra e densidade:

2) No meio da carga é retirada mais duas amostras e é feito a mesma análise repetindo os procedimentos anteriores;

3) No final da carga é retirado mais duas amostras (no granel), fazendo os mesmos procedimentos do item 1.

4) Em caso de carvão molha será feito mais duas amostragens.

Obs: Na dúvida sobre a amostragem serão repetidas as análises. As amostras serão retiradas em pontos diferentes da carga, seguindo o processo de descarga, sendo que serão retiradas amostras no inicio, meio, fim e granel dos caminhões.

Cada amostra retirada é pesada e após o cálculo, será registrada a quantidade na planilha de acompanhamento de amostragem;

Cada amostra pesada é peneirada e é feito o calculo total da amostra;

7. Transferir o resultado para a planilha de acompanhamento de amostragem;

ANÁLISE DO % DE UMIDADE:

Com a amostra devidamente coletada, o carvão é socado em um recipiente adequado, peneirado e separa-se uma pequena quantidade em um recipiente fechado para que seja levado ao local para a realização da analise de umidade. Realiza-se esse processo com cada amostra do carvão.

As analises são realizadas no laboratório da siderúrgica em horário administrativo de segunda a sexta-feira e nos demais horários é feita na sala PLC, por seus devidos responsáveis.

No laboratório segue-se o seguinte procedimento:

• Pesa-se um cadinho de porcelana em balança analítica 0,0001g e anota-se o valor obtido (P1);

• Efetua a tara do mesmo e pesa aproximadamente 1,000g de amostra e anota o peso obtido (P2);

• Leva para estufa a 120° por 15 minutos;

• Retira e pesa novamente anotando o resultado final obtido (que é o peso do cadinho + o peso do carvão já seco) (P3);

Realiza-se o seguinte calculo e obtém o resultado:

((Peso do cadinho P1 + peso da amostra P2) – resultado final P3) x 100

Peso da amostra

Na sala do PLC a analise é feita em um aparelho determinador de umidade onde efetua a tara do pratinho onde vai colocar a amostra, pesa-se 10g de amostra e coloca o aparelho para operar, ele aquece a amostra durante um tempo de 10 minutos programado até a temperatura determinada na sua configuração por meio de uma resistência, e quando o tempo termina, o aparelho mostra o valor da umidade obtida automaticamente.

Em ambos os processos o valor da umidade é determinada a partir da diferença obtida da amostra inicial com a amostra final já seca e calculada a diferença em percentual.

• ANÁLISE DO % DE FINOS:

O carvão que foi separado na hora da amostragem é colocado em um caixote que se encontra na sala de amostragem em cima de uma balança eletrônica, até que este esteja cheio e anota-se o peso (peso Bruto);

Em seguida ele é colocado em uma peneira vibratória para a separação do fino;

Depois de peneirado é pesado novamente e anota-se o peso obtido;

O valor do percentual de fino é calculado como a seguir:

(Peso Bruto – Peso final x 100) / Peso Bruto

• ACOMPANHAMENTO DA DESCARGA DE CARVÃO

Cabe ao motorista do caminhão acompanhar todo o procedimento da descarga do carvão de acordo com os procedimentos descritos nos itens “CONTROLE DA DESCARGA DE CARVÃO”, “COLETA DAS AMOSTRAS”, “ANÁLISE DO % DE UMIDADE” e “ANÁLISE DO % DE FINOS” que serão preenchidos na Ficha de Controle da Descarga de Carvão.

Durante o acompanhamento da descarga o motorista poderá solicitar uma nova amostragem do carvão se ele não estiver de acordo com o resultado apresentado.

Após o preenchimento da “Ficha de Controle da Descarga de Carvão” e estando de acordo com as informações das análises, o motorista deverá assinar o documento.

Se o motorista não quiser acompanhar a descarga do caminhão, o mesmo não poderá reclamar das informações constantes no documento “Ficha de Controle da Descarga de Carvão.

QUADRO DE RESUMO DA QUALIDADE E GRANULOMETRIA:

A granulometria do carvão é classificada como a seguir:

BOA: um carvão com um tamanho e aspecto bom e homogêneo, ou seja, sem pedaços muito pequenos ou finos;

REGULAR: um carvão com misturado tendo partes maiores e menores;

FINO: um carvão muito pequeno com muitas partes finas.

A qualidade do carvão é definida a partir de uma tabela abaixo de acordo com a umidade e o percentual de finos (moinha) encontrada sendo essa classificada em BOM, REGULAR E RUIM:

Qualidade Granulometria % de Finos
Bom Boa 0,00 a 12,00
Regular Média 12,01 a 17,00
Ruim Fino Acima de 17,00

• PROCESSO DO DEP. DE CARVÃO:

As notas fiscais, DOF, TMF, ticket da balança, vale e o controle de descarga, são recolhidos na balança no primeiro horário. Todas as informações são lançadas em um relatório que gera uma ficha com os dados necessários para emissão do pagamento. Logo em seguida é emitida a NFE (Nota Fiscal Eletrônica) que é anexada a todos os documentos recolhidos na balança e mais a ficha com os dados para emissão do pagamento que são enviadas ao setor financeiro para conferência e preparação do pagamento.